Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2006

este bloG...

 

termina aqui.

 


publicado por siX às 15:23
link do post | comentar | ver comentários (22) | favorito
Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2006

Presidenciais II

 


Já que toda a gente tem uma opinião, cá vai mais uma... indiferente.


O Prof. Cavaco Silva venceu por uma margem magra, magrinha de todo. De tal maneira raquítica foi a margem, que todos ficaram meio encalhados, diria mais, incrédulos, que até esqueceram de festejar.


Pouparam-se uns litros de gasóleo, pois...


Quem ficou aos cucos com esta vitória, foi o camarada Pinóquio, perdão, digo Sócrates. Afinal, entre o Poeta Alegre e o Sr. Silva, venha este, mais coerente com as políticas de acção social e económicas do actual governo, que colocaram o país no último dos ultimos da europa, o que só trás vantagens: é que agora não temos ninguém a correr atrás de nós.


Grande trambolhão levou o Clã Soares. E sabem que mais? Hurra!!! Viva o Poeta, que conseguiu o inusitado!!!


Francisco Louçã tem que rever a sua maneira de estar na política... è um chato seminarista politizado, e o seu discurso de salas de chuto e clínicas de aborto já não convencem ninguém. Um fanático, é o que é... e por essa mesma razão, perigoso.


Jerónimo de Sousa é um indivíduo simpático, e o seu carisma manteve-o à frente do Bloquista Louçã. Uma vitória muito sua, já que mantém o actual eleitorado comunista...


Manuel Alegre? Um homem feliz, que por uma unha negra não passou à segunda volta! Um milhão de votos dá que pensar, e num futuro próximo pode alterar muita coisa no seio do Partido Socialista. Para já, Sócrates diz estar tudo bem... mas com o Pinóquio, perdão, Sócrates, as verdades de hoje são as mentiras do amanhã...


 


publicado por siX às 22:45
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Presidenciais I

 


Parabéns,


 


garciapereira.jpg


 


Dr. Garcia Pereira...


 


publicado por siX às 22:19
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2006

Dupont et Dupond

 


foram finalmente desmascarados...


A notícia corre célere, e será manchete amanhã em todos os jornais nacionais, revistas porno, bisbaques locais...


 


dupdup.jpg


 


A partir de agora, O Vilacondense nunca mais será o mesmo...


 


publicado por siX às 22:29
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2006

matemáticas...

 


22.jpg


Grassa por aí uma polémica relativamente aos maus resultados obtidos na disciplina de matemática pelos alunos do 9º ano, a nível nacional, na ordem dos 70%.


Ora, 70% é muita fruta, muitos milhares de alunos, para quem a matemática é um mistério quase tão grande como a revelação das primeiras fotos resultantes da nova sonda que se dirige neste momento para Plutão e só serão conhecidas dentro de 12 anos.


Podia estar para aqui a falar da preguiça, da falta de interesse em absorver ou administrar a disciplina, mas nem vou por aí já que estaria a debater pontos que já foram exaustivamente analisados por outros bloggers, e não viria acrescentar nada de novo ao que já se disse.


Esta revelação fez-me lembrar uma outra polémica recente relacionada com as alterações ao orçamento previsto para este ano para a Polícia Judiciária, cujos representantes apresentaram um corte estimado na ordem dos 55%, se a memória não me engana, e que originou grandes protestos da parte desta organização. Lembro que logo de seguida, o ministro do qual não recordo o nome, veio a praça pública dizer que não, que o corte estimado era na ordem dos 6%.


Ora, tal discrepância diz-me que alguém ou até vários, não fizeram bem as contas ou não as sabem fazer. Que o problema da disciplina de matemática não afecta só os alunos do 9º ano mas é também natural em administradores que ocupam elevados cargos na função pública. Não é possível, para um mesmo orçamento, apresentar opiniões tão divergentes, sem que ninguém estranhe tal facto.


Bem, já não leio blogs nem jornais com a mesma frequência com que o fazia à uns tempos atrás. Mas aqueles que normalmente visito não acharam relevante ou não se aperceberam desta anedótica discrepância de valores. Talvez porque num país em que derrapagens financeiras de valores estimados em milhares de milhões passou a ser visto e até aceite como uma forma natural de administrar dinheiros públicos! Derrapagens que não passam de erros matemáticos, grosseiros, e que num futuro não muito longínquo serão dramaticamente relevantes na vida de todos nós...


Tenho bem fresco na memória a tentativa patética do antigo Primeiro-Ministro António Guterres, perante as câmaras, num esforço intelectual hercúleo a tentar calcular de cabeça o valor do Produto Interno Bruto, rematando frustradamente no final com um «Bom, é fazer as contas»!


Eu diria até, é fazê-las... e bem! Afinal, o exemplo deve vir de cima, ou não será assim?!


 


publicado por siX às 12:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

1 minuto...

 


Um minuto, foi quanto demorou a viagem...


Vindo da Póvoa de Varzim, paro o carro em frente ao Caximar. As luzes da marginal estão apagadas e não há luar, o momento ideal para a minha experiência. Desligo as luzes do carro e acelero em direcção ao negrume. Tiro as mãos do volante, e deixo-me ir...


De repente, sinto que o carro sobe o passeio aproximando-se perigosamente do muro que ladeia a praia. Um cão corre desesperadamente à minha frente, ignorando o gato de pelo eriçado que não se move perante o perigo. O volante gira 60º para a esquerda, afastando-se do muro em direcção às raquíticas árvores, que nunca passarão disso mesmo.


O cão desacelera da sua corrida ofegante e observa.


Eu travo.


O carro estaca a poucos cm da parede e respiro fundo.


O gato de pelo eriçado observa.


Cerca de meio quilómetro percorrido na total escuridão.


Esta estrada é como o amanhã: negro e imprevisível, conduzido por atados...


 


publicado por siX às 10:45
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Terça-feira, 17 de Janeiro de 2006

vi-te...

 

- Vi-te, vo-te, vu-te, disse ela.

 

Vi-te, vo-te, vu-te? - inquiri, espantado. - Que quer dizer essa merda?!

 

- Vi-te, além. Vo-te, comer. Vu-te, pôr a andar - respondeu. - A cena dos Três Vês, estás a ver?

 

- Pensei que fosse Veni, Vidi, Vici - respondi. - E quando Vici, era para sempre.

 

- Nããã - respondeu. - Tu paraste no tempo, meu. Essa lenga-lenga romana já não faz sentido há séculos. Aliás, até nessa altura, os gajos que berravam essa treta, eram comidinhos pelos tipos do Senado. Quando davam por ela, acordavam com um facalhão atravessado na garganta.

 

- Hoje em dia, o facalhão é outro, mais subtil - disse.

 

- Sim - disse ela. - A mentira é uma espiral sem fim. Ninguém sabe onde começa, nem como vai acabar.

 

 - Vi-te, vo-te, vu-te - murmurei. - Faz todo o sentido...

 

- E então? - perguntou. - Cum'é que vai ser?

 

- Vo-te comer, não é? - e concluí. - Para me pôr a andar...

 


publicado por siX às 10:53
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2006

Queimadas

 

253887-6782-cp.jpg

 

O verão de 2006 está sendo o mais quente dos últimos 20 anos no sul do Brasil.

 

Altas temperaturas e insuficiência de chuvas tornam-se uma combinação perigosa para o desencadeamento de queimadas.

 

Para evitar acidentes e a ocorrência de incêndios na zona portuária da Cidade do Rio Grande (RS), foi realizado, na semana passada, o 2º Encontro de Preservação e Manutenção das Matas da Região Sul. Organizado por empresas, órgãos ambientais municipais e estaduais, organizações não governamentais (ONGs) e associação de moradores da zona portuária, tal encontro teve como objetivo apresentar noções básicas para minimização dos riscos bem como de combate a incêndios.

 

Foram palestrantes os representantes dos órgãos ambientais e de segurança ligados ao meio ambiente e participaram engenheiros e responsáveis pela área ambiental das empresas, bem como representantes das ONGs e associações de moradores. Houve interação entre palestrantes e participantes como forma de esclarecer dúvidas e possibilitar o debate e a discussão dos principais pontos apresentados.

 

Ao final do encontro ficou tratada uma 3º edição do evento, onde deverá haver a participação da comunidade. Foram também inauguradas placas de advertência a serem distribuídas ao longo da estrada que abrange a área portuária, visando alertar os transeuntes para que não joguem cigarros acessos ou façam fogo (proibição dos churrascos) próximo das matas e área retro portuária.

 

 

255366-7536-cp.jpg

 

 

Bem, o relato sobre esse encontro, noticiado em jornal local de minha cidade (Jornal Agora, Rio Grande), chamou-me atenção por três aspectos:

 

O primeiro deles é a participação de grande número de empresas em evento ligado à preservação/cuidado do meio ambiente, na qual vejo dois motivos: a questão da segurança/integridade físico-econômica as queimadas podem atingir diretamente as plantas das empresas; e porque as empresas, por uma questão de adequação mercadológica recente, procuram cada vez mais a certificação ambiental (as normas da série ISO 14000) o que as coloca no compromisso de engajarem-se em causas e cuidados com o meio ambiente.

 

O segundo é a interação cada vez maior dos diferentes órgãos ambientais, da comunidade e da iniciativa privada (empresas) nas questões relativas ao meio ambiente no Rio Grande, o que embora seja ainda incipiente, é louvável.

 

O terceiro aspecto relaciona-se a fato de além mar, pois tal tema trouxe-me à memória os episódios dos incêndios/queimadas que se alastraram por alguns países europeus durante o verão de 2005, especialmente o ocorrido em Portugal.

 

Impressionaram-me as imagens e os depoimentos vistos na TV Portuguesa e também o que foi possível ler e registrar através da Internet.

 

Lembro-me de referências à questão da propriedade da terra e da forma como não seria possível (?) um maior controle/cobrança dos proprietários para que seguissem normas e medidas de segurança para evitar a proliferação do fogo. Foram mostradas também pessoas, em algumas localidades portuguesas, realizando limpeza (retirada de material facilmente inflamável) no entorno das casas quando as chamas já estavam muito perto da área residencial onde residiam. Pareceu-me também que a forma de fiscalização e punição aos incêndios criminosos talvez precisasse ser revista...

 

Enfim...

 

Fica aqui no QD a interrogação sobre o que vem sendo feito para que a tragédia das queimadas do verão passado não se repita neste ano de 2006 em Portugal (caso o verão seja novamente muito quente e seco)?

 

Talvez haja muito que fazer e o melhor seria não deixar para a última hora, evitando tantas cenas tristes e desoladoras, de perdas de vidas e destruição (matas e casas) de norte a sul do país, como acompanhamos pelos noticiários - e o povo português viveu dolorosamente - no ano de 2005.

 

 

 255138-7371-cp.jpg bombeiro - Portugal 2005.jpg

Flavia Altmayer

 


publicado por siX às 23:55
link do post | comentar | favorito
Domingo, 15 de Janeiro de 2006

Vila do Conde - Memórias

 


vcantigaXis.jpg


 


Um aspecto curioso de Vila do Conde...


 


publicado por siX às 22:00
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2006

por vezes, surpreendo-me...

 


É verdade, e passo a explicar o porquê...


Foram já muitas as referências, umas positivas, outras nem tanto, ao nosso blog ao longo destes dois e picos anos de existência... Ora, as referências são importantes, no sentido de nos fazer sentir de que afinal a nossa existência no etéreo é uma realidade e o trabalho desempenhado é minimamente apreciado. Só assim é possível continuar.


E não é que sou agradavelmente surpreendido com esta referência além-mar?


 


publicado por siX às 14:08
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quarta-feira, 11 de Janeiro de 2006

só resta o... inferno

 


2005-2006.jpg


 


Devo dizer que fiquei um pouco embaraçado desiludido não surpreendido, com a fraca ignorada olvidada prestação da comunidade à qual tão empenhadamente pertenço, relativamente ao post aqui publicado, cujo teor de carácter generalista foi amavelmente cedido pelo Pedro Macedo, e com o qual perdi 10 s do meu tempo a ler e outros tantos a responder...


Tempo este, ao que parece, demasiado precioso para ser dispendido por tantos que, sei, por aqui passaram e o ignoraram, o que me dá uma ideia mais ou menos precisa de que afinal este é um tema tabu ou então, como tantas vezes ouço numa conhecida estação da rádio, «não sabem ou não querem responder».


Estão no seu direito inalienável, diz-se que conquistado com o 25 de Abril, um hábito que se foi perdendo com o tempo, na medida em que o direito à indignação foi sendo substituído pelo direito à indiferença...


Quanto a mim, bom, eu vou pregando aos peixes...


 


publicado por siX às 22:56
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

estima por flávia...

 


Mas nem tudo é mau negativo indiferente no Quasi Diário...


A nossa colaboradora e amiga Flávia Altmayer, brasileira mas fã do fantástico enorme FCP, mestra nas coisas do ambiente por cá consideradas obscuras quasi esotéricas, com estudos científicos publicados que por cá seriam condenados ao facciosismo indiferente, teve ainda tempo para se dedicar à história da portuguesíssima família Estima, que teve no emigrante Alípio Estima, homem com gosto pela escrita e que registou em pequenos diários de bolso a sua aventura nas terras de Vera Cruz numa época histórica, o seu principal personagem.


O livro aí está, com fotos do Repórter Xis na capa e contracapa.


 


convite.jpg


 


Todos os amigos do Quasi Diário estão convidados em participar no seu lançamento. Basta para tal adquirirem o bilhete de avião e rumar em direcção a Rio Grande do Sul, no Brasil.


Caso se vejam impossibilitados de tal ninharia, sempre podem manifestar o interesse por uma leitura bucólica, entrando em contacto com a autora e encomendando o livro...


 


publicado por siX às 22:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 10 de Janeiro de 2006

Fute-fashion

tatyferreira-fcp-scp-2.jpg

Certo, «não entende nada de futebol» dirão alguns, e com toda razão...

 

Do esporte mais popular em meu país sei apenas o básico, assim como não sei sambar (menos que o básico) e tomo caipirinha lá de vez em quando (dentre os drinks prefiro o martini...).

 

Em época de campeonato mundial sempre assisto os jogos...do Brasil, somente, e de uma Copa para outra já esqueci os resultados, fica apenas uma impressão, boa ou ruim...algo assim meio «empático-intuitivo», nada fundamentado em técnica, regras ou média de gols.

 

Enfim, sou uma curiosa no mundo da bola!

 

Quando dou meus palpites também são baseados em reminiscências e coisas que repousam na mente, sabe-se Deus desde quando; talvez de outras vidas! Mas como tenho relativa boa memória, às vezes sei nomes e fatos ligados ao futebol que não sei de onde tiro! Sai na hora e pronto! Até consigo estabelecer um diálogo sobre o tema, onde tomo muito mais informações do que dou, é claro.

 

Penso não ser necessário dizer que não tenho nenhuma equipe do coração, porque nunca encontrei um lugarzinho para o esporte da redondinha aí nesse recanto escondido do peito. Salvo na Copa do Mundo, quando o coração brasileiro é um só e tem cor verde e amarela! Porém, há alguns meses, conversando com dois amigos portugueses, torcedores fervorosos do Futebol Clube do Porto, entre elogios, comentários e destaques das vitórias e êxitos de sua querida equipe, ressaltaram, ambos, a beleza do uniforme azul e branco!

 

Aí está uma das coisas que gosto, meio como um hobby: vestuário e suas variações!

 

Desde então, entre outras coisas, nos raros noticiários esportivos que assisto e nas partidas de futebol que vejo (dois minutos no máximo, enquanto procuro canais na TV), as equipes dividem-se entre bonitas e feias, mas nada ligado às pernas dos jogadores ou aos seus penteados e acessórios exóticos, senão quanto à beleza dos uniformes!

 

No Brasil, considero o uniforme do Vasco da Gama bastante interessante, embora aquela faixa preta possa dar um ar meio funesto ao conjunto, mas a combinação de cores (preto e branco) é muito "chique" e tem um bom efeito em campo! Aqui no meu estado (Rio Grande do Sul), o Sport Club Internacional (Colorado), equipe que torcia quando era criança  pois precisava ajudar a ala feminina da casa: minha mãe era Colorada, meu pai Gremista (duas equipes tradicionalmente rivais)  com seu uniforme vermelho e branco, deixa a desejar em criatividade nos detalhes. Prefiro o uniforme azul, preto e branco do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, embora não simpatize com o time por reminiscências do passado (quando o Grêmio ganhava era uma humilhação para as mulheres Coloradas da casa!).

 

Na Espanha, o Barcelona é exótico e fica diferente com suas cores pouco comuns (de combinação duvidosa, é verdade), já o Real Madrid, todo em branco, parece um bando de fantasminhas correndo em campo, quando jogam mal devem dar a impressão de que nem estavam ali mesmo! O Académica, em Portugal, all in black, é algo incomum; só os vi uma vez, é verdade, e está certo que o preto é "chique", mas para um uniforme de futebol não me pareceu bem dosado, acho bom para togas da universidade, não para correr em campo por 90 minutos! Se me entendem... (nada contra as equipes!).

 

E assim vai...

 

Esse assunto renderia muitas linhas, mas prefiro dizer logo que, desde que comecei minha análise estética das equipes, ainda não vi nenhum uniforme mais bonito do que o do Futebol Clube do Porto. Dando razão aos queridos amigos lusos. Já me tornei até torcedora-convertida, embora não assista a nenhum jogo!

 

Mas a pesquisa segue e será demorada, visto que só posso realizá-la assim, diria, por acaso.

 

Talvez no mundial de futebol eleja, dentre as seleções, o uniforme mais bonito! O Brasil  a despeito da paixão pela nossa seleção - deverá perder a disputa estética: afinal, verde e amarelo... admitamos: tem coisa menos combinável?

 

E "rola a bola no gramado"!

 

{Foto do FCP surrupiada do Portal dos Dragões}

Flavia Altmayer

 

 


publicado por siX às 00:45
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 5 de Janeiro de 2006

Budapeste e o Chico

Chico Buarque_4.jpg

 

«Mas duas pessoas não se equilibram muito tempo lado a lado, cada qual com seu silêncio; um dos silêncios acaba sugando o outro, e foi quando me voltei para ela, que de mim não se apercebia. Segui observando seu silêncio, decerto mais profundo que o meu, e de algum modo mais silencioso. E assim permanecemos por mais meia hora, ela dentro de si e eu imerso no silêncio dela, tentando ler seus pensamentos depressa, antes que virassem palavras húngaras.» (p.61)

 

Seduzida pelo romance Budapeste, de Chico Buarque, o devorei em algumas horas, entre uma manhã de sol e uma noite de calor, às margens da Lagoa dos Patos, nos últimos dias de 2005.

 

Havia lido comentários sobre o livro e também sobre o prêmio ganho na Espanha, mas encontrar-me com ele, em plena curta temporada na praia, foi obra do acaso. Eis que, por motivo diverso, deparei-me com o título, repousando languidamente em uma vitrina de uma pequena livraria  rica em títulos, é verdade  perdida numa estreita galeria do centro da cidade de São Lourenço do Sul. Rapidamente o adquiri.

 

Primeira vez que li Chico Buarque e posso dizer, usando expressão de Garcia Márquez, que fui atrapada pelo autor de Budapeste, levada através de seu uso singular da língua portuguesa (com expressões bem brasileiras, às vezes) por um universo e personagens, ao mesmo tempo simples (cotidianos) e sedutores (em sua Estranheza), que só mesmo uma mente genial como a dele pode criar e dar vida.

 

Fica a dica da Tribo aos Caros Amigos do QD.

(e Bom 2006!!)

 

Flavia Altmayer

 

 


publicado por siX às 20:21
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 3 de Janeiro de 2006

entre o céu e o inferno...

 


Recebi este e-mail do Pedro Macedo, presidente da Associação dos Amigos de Mindelo, no qual sintetiza em cinco pontos os melhores e os piores acontecimentos ambientais em 2005, assim como deixa ficar os seus desejos para uma melhor política ambiental para 2006.


Eu tive todo o prazer em colaborar.


Seria interessante que todos os que me acompanham no QD e se preocupam com o futuro ambiental do nosso concelho, o fizessem também. Leiam atentamente e participem. Podem fazê-lo directamente para a Associação, utilizando os links disponíveis, ou deixando aqui os vossos comentários. Com toda a certeza, o Pedro Macedo estará atento.


 


2005-2006.jpg


 


2005 foi um ano de contrastes e impasses. De grandes dramas e acções heróicas.


Conheça e participe nesta análise dos Amigos do Mindelo.


 


5 melhores acontecimentos ambientais de 2005


(Quase) criação de uma área protegida na ROM


Finalmente foram dados passos concretos! A Câmara Municipal criou um grupo de trabalho com vista à classificação da Reserva Ornitológica de Mindelo (ROM) como área protegida. Foi encomendada a elaboração de um Plano Estratégico à Universidade do Porto que descobriu novos valores naturais, reforçando a sua importância para a conservação da natureza e o potencial para a investigação científica, educação ambiental e lazer.


Parque Urbano de Vila do Conde


O primeiro grande espaço verde do Concelho foi inaugurado em Abril. O Parque Urbano “João Paulo II”, desenvolvido pelo arquitecto Siza Vieira, possui cerca de 30 mil metros quadrados e representou um investimento de 3,3 milhões de euros. Foi a primeira obra inaugurada no âmbito do Programa Polis de Vila do Conde.


Ecoclube de Mindelo lança campanha para a poupança de água


Portugal viveu este ano a pior seca desde que há registos, ou seja, meados do século XIX. O Ecoclube de Mindelo lançou uma campanha pioneira para promover a poupança de água. Foram os únicos que andaram de porta-emporta a questionar consumos e ensinar a poupar. Os jovens afirmaram o seu direito a serem protagonistas.


Autárquicas e o Ambiente


Dos 5 desejos ambientais formulados um ano atrás, foi o único que se concretizou. O Ambiente esteve no centro da campanha eleitoral para as autárquicas, graças ao empenho dos vários partidos políticos. Todos os candidatos aceitaram participar no debate realizado pelos Amigos do Mindelo antes das eleições, tendo comparecido cerca de 130 pessoas. Uma verdadeira democracia constrói-se assim.


A sua sugestão:


Parecendo que não, é sempre uma presença dissuasora e alerta para futuros atentados. Os Vilacondenses estão mais activos. Este ano a Associação recebeu um número crescente de denúncias e alertas por parte de cidadãos preocupados: descargas de entulhos, poluição de linhas de água, construção nas dunas, animais feridos… O número de participantes no programa de ecoturismo também é crescente. Os cidadãos estão preocupados com a sua qualidade de vida e decidiram actuar. Por isso nós decidimos tornar esta análise mais interactiva. Envie-nos a sua sugestão para o melhor acontecimento ambiental de 2005, até 7 de Janeiro


info@amigosdomindelo.pt


 


5 piores acontecimentos ambientais de 2005


Incêndios florestais


Nos últimos 10 anos deflagraram em média 215 fogos florestais por ano. Em 2005, e apenas até 15 de Outubro, já tinham deflagrado 399 incêndios em Vila do Conde, o que torna 2005 de longe o pior ano desde que há registos. Mais uma vez a Reserva Ornitológica de Mindelo foi palco de incêndios de origem criminosa: até as dunas arderam! É preciso fazer mais para diminuir este flagelo.


Impasse no Saneamento


O ano termina sem se saber qual será a solução para o tratamento dos esgotos em Vila do Conde. Vão ser tratados em Matosinhos? Na Póvoa de Varzim? Vai ser ao nível do Vale do Ave? E quanto à rede de drenagem? A polémica concessão a privados da água e saneamento deixou este processo bloqueado. Continua por fazer a mais básica das medidas ambientais necessárias à qualidade de vida.


A vergonha do Metro do Porto


Os comboios deixaram de circular entre Vila do Conde e o Porto no início de 2001, para dar lugar às obras do metro. Oito milhões de viagens por ano que passaram a ser feitas com maiores incómodos e impactes ambientais. Já depois da tardia decisão da duplicação da linha, a chegada do Metro do Porto a Vila do Conde estava marcada para Outubro de 2003. Desde aí, foi sempre a adiar. Entretanto o Metro anda entretido com obras que não eram as suas. Por tudo isto, não é de estranhar a decisão do Governo em retirar poderes à sociedade gestora do projecto.


Lactogal e a poluição


A Lactogal realizou descargas fortemente poluentes na Ribeira de Laje, afluente do Rio Onda. As denúncias dos Amigos do Mindelo conseguiram inverter a situação, mas a empresa nunca aceitou o convite para discutir o assunto. Ficou provado que nada adianta realizar Estudos de Impacte Ambiental, criar sistemas de licenciamento ambiental ou construir estações de tratamento de águas residuais, quando as empresas não se mostram sérias e a fiscalização é inexistente. Valeu o alerta lançado pelos agricultores afectados pelas descargas, as denúncias da Associação e as notícias nos meios de comunicação social.


A sua sugestão:


Envie-nos a sua sugestão para o pior acontecimento ambiental de 2005, até 7 de Janeiro.


info@amigosdomindelo.pt


 


Os 5 maiores desejos ambientais para 2006


Uma nova política camarária


Foi anunciado que uma das principais apostas para o novo mandato seria o Ambiente. Novo vereador, novos técnicos, um novo Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental. Espera-se que sejam cumpridas as promessas de criar uma área protegida na ROM, de investir no saneamento básico e de implementar a Agenda 21 ao nível do Concelho. Fundamental proceder a revisão participada do Plano Director Municipal.


Complexo Comercial Nassica


Está finalmente em consulta pública o Estudo de Impacte Ambiental do Nassica, cuja primeira fase foi aberta ao público em 2004. Tarde demais. Toda a área foi desmatada e degradada, facto que agora é utilizado para dizer que o impacte será reduzido. Em 2006 espera-se que o “maior centro comercial, empresarial e de lazer do país” assuma as suas responsabilidades ambientais.


Gestão integrada da zona costeira


No contexto do Grande Porto, as praias de Vila do Conde apresentam a maior vulnerabilidade à acção do mar e as dunas literalmente têm desaparecido. Apesar disso continua a permitir-se a construção em locais ameaçados. As praias continuam cheias de lixo (em particular no Inverno). A qualidade da água do mar piorou face a 2004 (61% das análises com qualidade boa em 2004, e apenas 50% em 2005). Em Vila do Conde a praia de Mindelo destaca-se pela positiva, apesar da saída de esgotos em pleno areal. Aguarda-se a intervenção na frente atlântica para ver o resultado do investimento de milhões de euros, mas mais importante, aguarda-se um esforço sério de requalificação de todo o litoral.


Plano de Acção da Agenda 21 de Mindelo


Em Abril de 2005 o Plano de Acção e Monitorização foi aprovado pela Assembleia de Freguesia de Mindelo, juntamente com os compromissos de Aalborg. Apesar de muito estar por fazer, identificar as acções prioritárias foi um passo fundamental. A recente aprovação pelo Instituto do Ambiente do “Plano de Educação para a Cidadania e Ambiente” irá trazer um novo fôlego a este projecto pioneiro em Portugal, premiado ao nível do Grande Porto. Espera-se que as entidades competentes cumpram os compromissos assumidos.


A sua sugestão:


Envie-nos o seu desejo ambiental para 2006, até 7 de Janeiro. Prometemos trabalhar para o tornar realidade.


www.amigosdomindelo.pt


info@amigosdomindelo.pt


Associação dos Amigos do Mindelo para a Defesa do Ambiente


 


 


publicado por siX às 23:37
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 2 de Janeiro de 2006

the return

 

vespera corpo deus(matina) 108.jpg

Fotog. by Repórter Xis

 

Enervado, entrei na loja. Afinal, os dois valium não surtiram o efeito desejado e a ansiedade por reencontrar o Mecânico era por de mais. Esperava ao menos que o unicedil me soltasse a língua. Localizei-o ao fundo da loja, no meio das porcas, parafusos e outras ferramentas de aspecto misterioso, pelo menos para mim.

 

- Então? - perguntei. - A Máquina sempre teve reparação?

 

O Mecânico franziu o sobrolho e deslizou por entre as ferramentas, reaparecendo num plasma gigantesco situado obliquamente a uma Retardadora a Vapor do século passado. Com o dedo médio fez-me sinal para avançar, desaparecendo de seguida. Entrei por uma porta e vi o Mecânico no meio da obscuridade, apoiado a um balcão iluminado por uma lâmpada que pendia do tecto. Entre as suas mãos, reluzente, encontrava-se a minha Máquina Preservadora da Realidade.

 

- Então? - repeti, ansioso. - Sempre a conseguiu reparar?

 

- Está pronta - respondeu. - São cento e sessenta euros.

 

Despejei o dinheiro no balcão, e agarrei-a com as duas mãos. Virei-a em todos os sentidos e finalmente espreitei pelo óculo, fixando-o no Mecânico. Ali estava ele, na obscuridade e a cores...

 

- Agradeça à Máquina - disse.

 

- Como? - perguntei, fixando-o a preto e branco.

 

- Agradeça à Máquina - voltou ele. - A realidade que ela preservou, não tem preço.

 

- Como sabe? - inquiri.

 

- Ela contou-me as suas histórias.

 

Virei a máquina e soltei o cartão de 1 Giga, carregadinho de memórias.

 

- Tenha mais cuidado com ela! - concluiu, desaparecendo de seguida para o interior do plasma...

 

 


publicado por siX às 20:06
link do post | comentar | favorito
Domingo, 1 de Janeiro de 2006

primeiro dia...

 


do ano...


Lembrei-me desta fotografia das docas, para comemorar este dia, que é sempre especial...


Pouca gente nas ruas, cafés e restaurantes fechados... enfim, tá tudo de ressaca...


 


VilaConde122005 005-1.jpg


Fotog. by Repórter Xis


 


Mas voltando à fotografia, esta ainda não é uma "Memória", daquelas que costumo aqui publicar, mas pouco falta...


Ao que consta por aí, querem construir aqui um prédio e mais um restaurante, e passar a zona das docas para a outra margem...


Mais uma decisão acertada do nosso "Maioral"?


 


publicado por siX às 15:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
    O meu ip
    Web Hosting Directory by Blog Flux
    BloGalaxia
       

os latagões

  • s¿X
  • berlim
  • reporter xis
  • passado

    adjectivos

    vileiros

    net.vil@condense

    outras.vil@s

    vizinhos

    ambiente

    mixórdias

    Setembro 2009

    Maio 2009

    Fevereiro 2009

    Janeiro 2009

    Dezembro 2008

    Dezembro 2007

    Novembro 2007

    Outubro 2007

    Setembro 2007

    Julho 2007

    Junho 2007

    Maio 2007

    Abril 2007

    Março 2007

    Fevereiro 2007

    Janeiro 2007

    Dezembro 2006

    Novembro 2006

    Outubro 2006

    Setembro 2006

    Agosto 2006

    Julho 2006

    Junho 2006

    Maio 2006

    Abril 2006

    Março 2006

    Janeiro 2006

    Dezembro 2005

    Novembro 2005

    Outubro 2005

    Setembro 2005

    Agosto 2005

    lataria e afins

    momento... único!

    o meu voto vai para...

    as verdades de medina car...

    estamos a passar uma cris...

    o mágico

    viu por aí?...

    uma mentira conveniente

    um farol às escuras II

    communiqué - um farol às ...

    todos ao molhe e fé em de...

    tags

    local(89)

    concertos(32)

    poem(28)

    diários QD(26)

    momentos vc(24)

    diários qd(23)

    politica nac(23)

    capas de susto(21)

    ?(18)

    rom(15)

    memoriasvc(9)

    calixto(8)

    blogs(7)

    correio dos leitores(7)

    mundial futebol(7)

    natal(6)

    todos os santos(6)

    divag(4)

    fcp(4)

    aborto(3)

    todas as tags

    subscrever feeds

    vileiros no limbo