Segunda-feira, 25 de Junho de 2007

roteiro de todos os santos - S. João de Vila do Conde

 

 

 

 

Não foi lá grande coisa, o meu S. João. Uma sardinhada fantástica no restaurante "O Pescador", nas Caxinas, acompanhado por uma salada de pimento (que eu adoro), e regada com um vinho branco razoável, deram o mote para uma caminhada até ao centro da vila. Estranhamente, comecei a receber chamadas de amigos que não via à algum tempo. O local de encontro era o Bacus na Praça José Régio e, quando dei por mim, estava rodeado de miúdos e graúdos. Nada a fazer. Pedi uma garrafosa de tinto, e toca a comemorar em agradável tertúlia até ao fogo. Só me levantei para ver o Rancho da Praça, do qual sou um ferrenho adepto.

 

 

 

Às duas da matina, lá percorri os metros que me faltavam até à Praça da República, e quedei-me na mesa da São, uma garota que possui uma espécie de galeria de arte, e que estava agora transformada numa tasquinha. Entre umas cervejas e umas sandes de febras de porco, lá assisti ao fogo de artifício, que não me apreceu tão exuberante quanto os anos anteriores.

 

 

 

Não subi ao monte, não fui à praia, não me desloquei às diversões no rio. Mas diverti-me à mesma. Afinal, o que há de melhor que uma boa conversa à mesa, enquanto as crianças brincam sem preocupações?

 

 

 

O Xis filmou umas coisas, uma espécie do nosso percurso...

 

 

 

 

 

 

 

No dia de S. João, não saí de casa. A tradição foi novamente cumprida... à mesa. Um cabrito fantástico regado com um espumante bruto tinto, atirou-me para o sofá e aí deixei-me estar. Mas à noite, a conversa era outra. A ida dos ranchos à praia é uma das mais belas e antigas tradições de Vila do Conde e eu, como a maior parte dos vilacondenses, não podia deixar de a cumprir. É a graça que a Praça tem...

 

 

 

 

 

 


publicado por siX às 23:46
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De seforis a 26 de Junho de 2007 às 16:45
Nestes últimos 17 anos só pude assistir ao fogo duas vezes. Este ano vi-o aqui :-) Obrigado! Já tinha saudades...não é a mesma coisa mas, ao menos dá para matar a saudade... Abraço!


De izzyta a 27 de Junho de 2007 às 16:18
A Praça tem sempre muita graça. É o que mais gosto no dia de S.João, ver a Praça passar. Este ano foi o único dos meus curtos 21 anos que não fui ver a Praça passar. Matei as saudades com os vídeos.


De Julia a 28 de Junho de 2007 às 04:12
Fantástico !!! A galera vilacondense , que vive do lado de cá do Atlântico ,agradece pela cobertura da festa . Adoramos !!!
Valeu!!
Bj
Julia


Comentar post

    O meu ip
    Web Hosting Directory by Blog Flux
    BloGalaxia
       

os latagões

  • s¿X
  • berlim
  • reporter xis
  • passado

    adjectivos

    vileiros

    net.vil@condense

    outras.vil@s

    vizinhos

    ambiente

    mixórdias

    Setembro 2009

    Maio 2009

    Fevereiro 2009

    Janeiro 2009

    Dezembro 2008

    Dezembro 2007

    Novembro 2007

    Outubro 2007

    Setembro 2007

    Julho 2007

    Junho 2007

    Maio 2007

    Abril 2007

    Março 2007

    Fevereiro 2007

    Janeiro 2007

    Dezembro 2006

    Novembro 2006

    Outubro 2006

    Setembro 2006

    Agosto 2006

    Julho 2006

    Junho 2006

    Maio 2006

    Abril 2006

    Março 2006

    Janeiro 2006

    Dezembro 2005

    Novembro 2005

    Outubro 2005

    Setembro 2005

    Agosto 2005

    lataria e afins

    momento... único!

    o meu voto vai para...

    as verdades de medina car...

    estamos a passar uma cris...

    o mágico

    viu por aí?...

    uma mentira conveniente

    um farol às escuras II

    communiqué - um farol às ...

    todos ao molhe e fé em de...

    tags

    local(89)

    concertos(32)

    poem(28)

    diários QD(26)

    momentos vc(24)

    diários qd(23)

    politica nac(23)

    capas de susto(21)

    ?(18)

    rom(15)

    memoriasvc(9)

    calixto(8)

    blogs(7)

    correio dos leitores(7)

    mundial futebol(7)

    natal(6)

    todos os santos(6)

    divag(4)

    fcp(4)

    aborto(3)

    todas as tags

    subscrever feeds

    vileiros no limbo